terça-feira, 31 de julho de 2012

#11 Resenha - O Semeador de Ideias


Um poderoso homem sofre perdas irreparáveis e torna-se um colecionador de lágrimas. Despedaçado, sai em busca dos porões da sua mente e da sociedade dos seus sonhos. “Não é possível”, pensei. Em vez de se prostrar diante de Deus, ele O chamou para um debate. E ninguém previa o que seria discutido. Depois desse episódio, ele deixou de ser um vendedor de sonhos e passou a ser um ousado semeador de idéias. E nós, após presenciar seu “debate”, nunca mais seríamos os mesmos. Não apenas os que o seguíamos ficamos perplexos, como também uma multidão que se aglomerou ao redor dele, emudecida.

*****

“– Ninguém está plenamente seguro. A existência é uma caixa de surpresas. Num instante, somos reis, noutro, miseráveis; num, somos aplaudidos, noutro, vaiados; num estamos gozando de plena saúde, noutro, enfermos.”

Capítulo 17 – O encontro. Pg. 193. 3º parágrafo.

Que atitudes tomaria se o mundo desabasse sobre você?

Ao longo dos livros que tenho lido, sou muito suspeito para falar sobre os livros de Augusto Cury porque sou um grande admirador dos livros dele. O Semeador de Idéias faz parte da saga O Vendedor de Sonhos, nessa nova história o Mestre como é conhecido na história perdeu tudo que tinha, despedaçado se tornou um colecionador de lágrimas, mas tenta lutar contra o próprio sistema, escondendo sua própria identidade, ele vaga pela cidade na direção de se encontrar e ensinar a todos como se proteger do abandono da própria mente, sendo seguido por alguns jovens que se encantam com a forma como ele fala.

Em O Semeador de Idéias, a história é narrada por um dos seguidores do Mestre, que é um professor que abandona toda a carreira para seguir o mestre e entender tudo que ele pensava, com lições que pode ser entendida por crianças, ele passa a dar lições que lhe faz pensar melhor em como você tem vivido sua própria vida.

E você, será que tem vivido como gostaria ou apenas tem se escondido com medo do que os outros vão pensar?

Mellon que é o verdadeiro nome do mestre era um grande empresário que nunca teve tempo para nada além do trabalho e o dinheiro, mas depois que sua família morre em um acidente aéreo passa a querer encontrar todas as pistas para saber se sua família estava realmente morta e quem era o real culpado pelo atentado.

Com personagens bem elaborados, fisicamente e psicologicamente, Cury faz com que façamos um passeio por diferentes problemas psicológicos, e esses personagens que o acompanham também não são tão diferentes de Mellon, são pessoas feridas, deprimidas emocionalmente que muitas vezes a sociedade nega a existência.

Mas, quanto mais Mellon procura entender tudo que aconteceu, mas é massacrado por suas lembranças, até descobrir que tudo fora um plano entre um de seus melhores amigos que na história acaba recebendo de volta, tudo que fizera e seu cunhado é um homem calculista, capaz de fingir sentimentos, manejar armas emocionais para moldar o pensamento de todos, fazendo até que alguém se sinta culpado, mesmo sem ter culpa, é um verdadeiro psicopata.

Mellon mesmo com todos os problemas não se abala psicologicamente, e você, o que faria, caso perdesse tudo que você tem na sua vida?

Esse livro me recordou um dos primeiros livros que li na infância, Dom Quixote, da mesma forma que o herói parte em busca de uma aventura e descobre que tudo era fruto de sua imaginação, o Mestre é um Dom Quixote Moderno e parte em busca de seu próprio ser, mesmo traído por todos os amigos, asfixiado pelas perdas e pressionado pela culpa, mas Mellon consegue lutar contra os fantasmas que o assombram, com muita inteligência, antes que fosse abandonado por si próprio.

Você é modificado quando lê um livro de Augusto Cury, ele abre seus olhos para os problemas e chega a lhe ensinar a como se manter diante deles e para melhorar, te leva para uma viagem nas masmorras psíquicas. Recomendo sempre!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário